Debates 20/3

Debates

Organização de José Eduardo Agualusa

19:00 – Teatro de Câmara
O Negro na Invenção do Rio
Nei Lopes e Ruy Castro

Mediador: Vagner Fernandes

Nei Lopes

Nei Lopes

Ruy Castro

Ruy Castro

foto vagner divulgação

Vagner Fernandes

Com mediação do jornalista Vagner Fernandes, o debate irá abordar a contribuição dos afrodescendentes na invenção da cultura popular carioca, passando pelas suas mais variadas facetas, como a música, dança, culinária, língua e religiosidade.

NEI LOPES (Rio, RJ. 09.05.1942), é compositor e intérprete de música popular, além de escritor e estudioso das culturas africanas, no continente de origem e na Diáspora.

RUY CASTRO é escritor e jornalista. Entre outros títulos, é autor de biografias de Nelson Rodrigues, Garrincha e Carmen Miranda, de livros sobre a Bossa Nova, Ipanema e o Flamengo, e de “Carnaval no fogo — Crônica de uma cidade excitante demais”, sobre o Rio. Todos pela Companhia das Letras. Escreve às quartas e aos sábados a coluna “Rio de Janeiro” na pág. 2 da “Folha de S. Paulo”.

VAGNER FERNANDES é jornalista de sólida experiência profissional, com uma carreira que cobre mais de duas décadas de reportagens na área da cultura brasileira. Contabiliza atuações em mídia impressa, rádio, televisão e internet, com passagens por Bloch Editores, Globonews, O Globo, Jornal do Brasil, Rádio Jornal do Brasil, Vogue e L’Officiel. É autor da biografia “Clara Nunes – Guerreira da utopia”.

O escritor e músico Kalaf Angelo irá ler trechos dos livros dos autores antes do debate.

20:00 – Teatro de Câmara
O Kuduro e a linguagem das periferias
Kalaf Angelo e José Eduardo Agualusa
Ângelo Kalaf

Kalaf Angelo

Jose-Eduardo-Agualusa-Angola

José Eduardo Agualusa

O escritor e músico angolano Kalaf Angelo, membro dos Buraka Som Sistema, a famosa banda luso-angolana responsável pela internacionalização do kuduro, falará sobre a linguagem das periferias, em particular da forma como os jovens dos bairros pobres de Luanda se apropriam dos ritmos do mundo e os reinventam. Falará também de Lisboa, enquanto palco previligiado de encontros entre a África e a Europa e de como Portugal se vem redescobrindo negro e africano.

José Eduardo Agualusa nasceu na cidade do Huambo, no planalto central de Angola, em 1960. Publicou 12 romances, traduzidos em mais de 25 idiomas. Vive entre Angola, Brasil e Portugal.

Filme

20:30 – Teatro de Câmara
I Love Kuduro
Direção de Mário Patrocínio

O kuduro (literalmente “cu duro”) é um movimento cultural urbano nascido na angola durante a última década da guerra civil.
Criado nas discotecas e raves da baixa de luanda através de uma fusão entre batidas house , techno e ritmos tradicionais angolanos, o kuduro transbordou do centro da cidade para a periferia. Rapidamente se espalhou por angola, por áfrica e agora por todo mundo.

O kuduro mistura dança, música e lifestyle, as suas letras inspiram-se nas coisas simples do dia-a-dia, e a sua cultura está presente um pouco por todo o lado – seja numa esquina, numa escola, num táxi ou até num estádio de futebol. “I Love Kuduro” acompanha as mais idolatradas estrelas deste fenómeno urbano que hoje arrasta multidões de jovens africanos, nomeadamente bruno de castro, eduardo paim, sebem, nagrelha, hochi fu, os namayer, tchobari, titica, francis boy e cabo snoop, oferecendo uma visão única sobre a nova geração de talento angolano.

Veja o trailer
Site oficial do filme

 

Voltar à home